Entenda a dieta cetogênica

Por 2 de julho de 2018Artigos

Além de ajudar a perder peso e contribuir para um estilo de vida saudável, a dieta com baixos índices de carboidrato e rica em gordura pode trazer vários benefícios

A dieta cetogênica é baseada em uma alimentação com baixo índice de carboidratos e rica em gorduras boas, retirando alimentos como macarrão, pão e arroz do dia-a-dia. Costumamos chamar, de uma forma mais geral, essas dietas de “low carb”, mas existem algumas diferenças significativas entre elas. Para entender melhor quais são os benefícios que a dieta cetogênica pode oferecer, primeiro, precisamos saber um pouco mais sobre suas particularidades.

O ponto essencial da dieta cetogênica é promover a cetose, de forma que o organismo passe a queimar a gordura como fonte de energia, em vez de carboidratos. Os carboidratos e as gorduras são os “combustíveis” do nosso corpo, mas, para o organismo, é muito mais fácil usar a glicose, conseguida através dos carboidratos. Então, quando comemos pão, massas, farinhas, açúcar, mel, ou qualquer alimento que contenha carboidrato, o resultado dele é a glicose.

Para utilizar esse combustível, o corpo precisa quebrar a glicose e colocá-la dentro das nossas células – e aqui surge o papel da insulina, responsável por garantir que a fonte de energia esteja no lugar, que é dentro das células. No entanto, quando a insulina aumenta, ela “avisa” para o corpo que ele já tem combustível suficiente, e não precisa de mais. Ou seja, o corpo não precisar correr atrás de outra fonte de energia, como a gordura. Além disso, se comemos mais carboidratos do que precisamos, o corpo também vai sofrer com a glicose. Isso porque o combustível que está “sobrando” será, então, armazenado para que o organismo possa usar em outro momento.

Enquanto não precisamos dessa reserva de energia, ela vai se acumulando sobre a forma de gordura, e, ao comer carboidratos, estaremos sempre impedindo que o corpo queime essa gordura. Ou seja, sem o combustível glicose, o corpo precisará queimar os lipídios para usar como fonte de energia.

Como o corpo entra em cetose?

Quando o corpo queima a gordura, o organismo produz cetonas, que vão dar energia para as células. Entrar em cetose, no entanto, não é assim tão fácil. O corpo precisa passar pelo menos três dias sem glicose para que a insulina baixe e permita que o organismo comece a queimar a gordura. Durante esse período “pré-cetose”, é comum sentir dores de cabeça, náuseas, tremedeiras e cansaço, que são sinais de que o corpo está sofrendo com uma abstinência de açúcar (carboidrato). Mas, depois desses três dias, o corpo já estará em cetose, e começam todos os benefícios.

Quais são os benefícios da dieta cetogênica?

Algumas pesquisas indicaram que a dieta cetogênica pode favorecer o controle do diabete tipo 2, o que possibilita uma diminuição na medicação, além de demonstrar melhoras na pressão arterial, na glicemia pós-prandial (medida da glicose após as refeições) e na secreção de insulina.

Além disso, para quem segue a dieta, vários benefícios podem ser colhidos no longo prazo. O controle da pressão sanguínea, aumento do nível de colesterol HDL (conhecido como “bom colesterol”) e redução de triglicérides são alguns deles.

É preciso ter atenção para planejar a dieta

Com todos esses pontos positivos, parece quase impossível que a dieta dê errado, não é mesmo? Mas é preciso escolher as gorduras certas. A dieta não oferece riscos se forem ingeridas gorduras que não intoxicam o organismo – entre elas estão o óleo de linhaça, óleo de cártamo e óleo de coco, que são chamados de triglicérides de cadeia média. Elas são gorduras mais fáceis de serem quebradas pelo organismo para serem usadas como energia, ao contrário das gorduras de cadeia longa.

Vale lembrar também que toda dieta deve ser acompanhada por um especialista. Principalmente no caso de diabéticos, deve haver um acompanhamento profissional para ajustar a dieta cetogênica às necessidades e especificidades do organismo do paciente.

Participe da discussão 6 Comentários

Deixe uma resposta