Ginástica cerebral para ansiedade funciona?

É possível estimular o cérebro para melhorar a memória e a concentração, além de ajudar na qualidade de vida de quem sofre com ansiedade

A ansiedade é considerada como um dos grandes males do século, e pode ser realmente desagradável conviver com esse problema. Quem sofre com ansiedade pode ficar com as emoções à flor da pele, sentir pressão psicológica, apreensão e autoconsciência constante, entre outros sintomas. É claro, todos costumam ficar ansiosos em determinados momentos, mas quando surge em níveis além do normal, já é um problema. Além dos sintomas psicológicos, esse transtorno também pode afetar o bem-estar do paciente e sua saúde física, causando noites de insônia, tensão, dores corporais e até mesmo compulsões.

Uma das formas mais comuns de tratamento da ansiedade é o uso de medicamentos em conjunto com um acompanhamento psicológico. No entanto, existem outras alternativas, como a prática de atividades físicas e até mesmo técnicas de ginástica cerebral, que podem aliviar os sintomas e controlar a ansiedade.

Como funciona a ginástica cerebral?

Assim como a prática de atividades físicas ajudam a manter uma boa performance do corpo, a ginástica do cérebro ajuda a manter sua capacidade mental.

O Centro Internacional de Neurociência do Hospital de Brasília realizou um estudo em que foi percebido que existem várias ligações entre memória e ansiedade. O cérebro de uma pessoa ansiosa trabalha de forma diferente, menos “focado” em suas ativações. Em outras palavras, o cérebro acaba fazendo mais esforço do que deveria em determinada tarefa, causando um cansaço muito maior do que seria esperado. E, como já sabemos, um cérebro descansado é muito mais eficiente, produtivo e saudável.

Portanto, exercitar o cérebro regularmente pode ajudar a relaxar, a focar e a desenvolver a memória. Os exercícios estimulam o desenvolvimento de novas redes neurais e a produção de neurotransmissores que aumentam a qualidade das conexões entre os neurônios, o que amplia a capacidade de processamento.

Fazendo uma ginástica cerebral, meditações e até pequenas pausas na rotina diária, pode ajudar a deixar o cérebro mais descansado, o que facilita na hora de fazer todas as tarefas. Com isso, a pessoa tende a ficar mais relaxada, o que ajuda a diminuir a própria ansiedade.

Como posso exercitar o cérebro?

A meditação é uma das alternativas para deixar o dia-a-dia mais leve e ajudar a melhorar a qualidade de vida. A prática traz equilíbrio emocional, melhora o sono e “esvazia” a mente da infinidade de pensamentos que ocupam o cérebro de uma pessoa ansiosa. Com a mente mais clara, o corpo também relaxa. Meditar algumas vezes ao dia pode melhorar o desempenho no trabalho e aumentar a produtividade e o foco.

Outras opções são exercícios cognitivos, jogos e dinâmicas que estimulam o cérebro. O ábaco, antigo instrumento de cálculo, também é muito utilizado para aguçar a concentração e a memória.

Ler bastante também pode ser um ótimo estímulo para o cérebro! Para saber mais sobre essa técnica inovadora, você deve buscar ajuda especializada. A ginástica cerebral pode ser uma grande aliada contra o estresse e contra a ansiedade!

Deixe uma resposta